Publicado em Sobre a Vida, Sobre Música, Sobre o Amor

O Tempo Certo

10478677_1463953807179909_2129861230443653647_n (1)

Quase duas semanas se passaram até que o presente momento chegasse! O momento em que eu finalmente me senti com inspiração suficiente para escrever algo de relevante para vocês!

Quem convive comigo ou está sempre conversando comigo já deve ter percebido que, no geral, infelizmente eu sou uma pessoa ansiosa (apesar de estar tentado a cada dia me livrar desse mal) e que especialmente nessas últimas semanas eu ando com a cabeça a mil e consequentemente ando ainda mais impaciente e até um pouco desconcentrada. Resolvi então parar um pouco, desacelerar, ouvir minhas músicas com mais calma, refletir…

Com isso acabei percebendo que a grande lição que a vida está tentado me ensinar nesse ano é esperar o tempo certo das coisas. Até em alguns posts anteriores eu já falei sobre essa questão da ansiedade, da afobação e do quanto isso atrapalha as nossas vidas. Mas me faltou ainda escrever sobre o oposto disso, que é justamente o que eu quero: paciência.

Uma música que sempre me ajuda em relação a isso é “Um dia após o outro”, do Tiago Iorc (que inclusive já foi tema de um post meu aqui e inspirou indiretamente alguns outros). Mas uma outra música, com uma letra muito mais sucinta e, por outro lado, muito mais metafórica, tem ocupado meus pensamentos recentemente e ela se chama “Ensaio sobre o Amor”, do meu querido amigo Ian Veras.

É muito bom você poder conhecer o autor de um texto ou o compositor de uma música para poder fazer a típica pergunta: “O que você quis dizer com isso?”. Eu já conheço o Ian há bastante tempo e conheço a música desde o dia em que ela foi escrita, mas antes de ‘conferir’ se eu tinha entendido tudo certo, resolvi escrever aqui a minha reflexão. E como acredito que a maioria dos meus possíveis leitores não conhece a música, vou colocar a letra aqui para facilitar a compreensão do que eu vou dizer depois…

“Nascerá no tempo certo uma flor

Diferente de tudo o que você já viu

Deixa estar, sim

Quem procura geralmente não vai encontrá-la assim tão fácil

Ela acontece enfim, quando aquieta sua alma e ela pode descansar

 

Chega e faz morada em mim, ó linda flor

Floresça e mostre que isso tudo foi um ensaio sobre o amor”

Uma das coisas que mais me chamou atenção nessa música logo de cara, que grudou mesmo na minha cabeça e que aparece logo no primeiro verso é a expressão “tempo certo”. O maior problema de uma pessoa ansiosa é achar que o tempo certo para alguma coisa acontecer coincide com o tempo que ela quer que a tal coisa aconteça. Até hoje eu nunca vi tal coincidência, mas tenho aprendido que realmente há um tempo específico, certo e perfeito para tudo que tem de acontecer em nossas vidas.

Esse tempo é justamente o que a música apresenta como o momento em que a gente “aquieta nossa alma e ela pode descansar”. Enquanto estamos atormentados pela ansiedade, nervosismo, afobação, pressa e tudo que não combina com a velha e boa paciência, nada na nossa vida anda. Só ficamos cansados, estressados, com dor de cabeça e tudo isso em vão! Então descanse e aquiete sua alma porque o seu tempo está por vir!

Mas o que dizer dessa flor que está para nascer em cada um de nós? Essa música não poderia ser tão especial para mim se não falasse da minha eterna matéria de poesia: o amor. Sim, essa flor é o amor que um dia surgirá em nossas vidas (acredito que na vida de todos os que acreditam e esperam por ele). Um amor simples, suave, sublime, ideal e pontual! Um amor que surgirá no tempo certo e que, assim como uma flor, não nascerá de uma hora para outra e que, além de tempo, vai depender de adubo e de terreno fértil.

Esse amor é raro e portanto não pode ser encontrado “assim tão fácil” e o seu florescer há de ocorrer na sua alma e jamais fora dela. Esse amor é frágil e precisará ser cercado de cuidados… Mas como esperar que esse amor cresça e floresça em meio aos espinhos da inquietação? Em meio ao terreno pedregoso da ansiedade? Ele precisa ser regado a cada dia com esperança, com calma, com paciência.

É esse amor único, extraordinário e singular que esperamos que brote em nossa vida. O amor capaz de nos mostrar que todo o resto eram apenas flores comuns e vulgares… que todo o resto não passou de experiências, apenas um grande Ensaio sobre o Amor!

Assim como tudo na vida, o amor certo há de surgir no tempo certo!

Autor:

Thaís tem 25 anos, é formada em Letras pela UFF e recentemente concluiu o mestrado em Literatura Brasileira. Adora dar aula e sempre que dá leva alguma música. A Thaís acha o Machado de Assis o escritor mais genial e totalmente incrível de todos os tempos e na música não há outro como John Mayer. Ela sabe fazer um brigadeiro muito bom, mas garante que escrever é o que de fato ela sabe fazer de melhor nessa vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s