Publicado em Poesia

Um pouco de cada (soneto às avessas)

vincent-van-gogh-paintings-from-saint-remy-13

Uns o sossego da casa, outros a rua deserta
Uns a mão amiga, outros o infinito na mala
Uns o escuro do quarto, outros a noite iluminada
(Os forasteiros, mochila e estrada)

Uns o acaso, outros a certeza
Uns o desconhecido, outros a constância
Uns o casulo, outros a ventania
(Os sonhadores, caderno e melancolia)

Uns o ombro amigo, outros a mão solitária
Uns o exagero, outros o descaso
Uns o beijo infinito, outros o exílio
Uns o afeto, outros a apatia
(Os ingênuos, carinho e melodia)

Uns o agora, outros a eternidade
Uns o pra sempre, outros o nunca mais
Uns o grito pungente, outros o silêncio forçado
Uns o choro sem causa, outros a lágrima calada
(Os sofredores, um pouco de cada)

Thaís Bartolomeu

Autor:

Thaís tem 25 anos, é formada em Letras pela UFF e recentemente concluiu o mestrado em Literatura Brasileira. Adora dar aula e sempre que dá leva alguma música. A Thaís acha o Machado de Assis o escritor mais genial e totalmente incrível de todos os tempos e na música não há outro como John Mayer. Ela sabe fazer um brigadeiro muito bom, mas garante que escrever é o que de fato ela sabe fazer de melhor nessa vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s