Publicado em Poesia

Verso e Canção

Light_Hand_by_Faellas

Como quem anda bêbado na escura noite
Os versos me vêm chegando pela madrugada.
De par em par, um apoiado no outro,
Juntam-se em torno de mim fazendo roda.
Dançam, cantam, trocam de lugar,
Eu fico atônita em meio à vertigem de palavras
Que cada verso me diz com voz melodiosa.
Logo já não estou mais sozinha no centro,
Sou tomada pelas mãos e convidada a bailar.
Como um só corpo nos unimos, nasce ali o poema
E então eu percebo que também sou verso, também sou canção.

Thaís Bartolomeu

Autor:

Thaís tem 25 anos, é formada em Letras pela UFF e recentemente concluiu o mestrado em Literatura Brasileira. Adora dar aula e sempre que dá leva alguma música. A Thaís acha o Machado de Assis o escritor mais genial e totalmente incrível de todos os tempos e na música não há outro como John Mayer. Ela sabe fazer um brigadeiro muito bom, mas garante que escrever é o que de fato ela sabe fazer de melhor nessa vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s