Publicado em Sobre a Vida

“São as ilusões o que nos faz felizes?”

Falling-asleep-forest

Há cerca de uma semana comecei a ler um livro que já estava na minha lista de espera há um bom tempo chamado ‘Os sofrimentos do jovem Werther’. Esse livro é de fato incrível e tem me inspirado a escrever muita coisa desde então, e o título desse post é retirado de uma passagem dele.

Quando eu me deparei com esse questionamento ‘São as ilusões o que nos faz felizes?’ durante a minha leitura, eu respondi para mim mesma: ‘É óbvio que não!’. Mas depois comecei a pensar que apesar de a resposta ser definitivamente NÃO, talvez isso não seja tão óbvio assim, então resolvi escrever.

De fato, quando nos encontramos nesse estado de estar iludido com algo, a impressão que dá é que estamos felizes. Mas ao fim percebemos que era só mesmo uma impressão. Porque quando nos iludimos nos tornamos incapazes de ver o que está bem na nossa frente, criamos uma realidade paralela, uma universo que não existe, ou seja, uma grande ficção. É só quando finalmente acordamos para o que é real que nos damos conta de que aquela tal felicidade também era fictícia.

Por mais difícil que pareça, é melhor assim ( apesar do susto que levamos quando nos damos conta de quanto tempo perdemos e do quando mentimos para nós mesmos, nos enganando presos a determinada situação)! Eu sei que na hora é como se acordássemos de um sonho e passássemos a ficar presos em um pesadelo sem fim. Mas eu digo que não é nem sonho nem pesadelo, é apenas a vida real.

E a vida real é boa, é linda, é surpreendente! Não são as ilusões o que nos faz felizes, elas apenas nos fazem perder tempo, perder oportunidades… Mas a vida tão gracinha como é, sempre nos dá novas chances, nos traz novas pessoas que nos mostraram que o que é real é muito mais incrível, forte e verdadeiro do que qualquer ilusão com suas vagas impressões de felicidade.

Autor:

Thaís tem 25 anos, é formada em Letras pela UFF e recentemente concluiu o mestrado em Literatura Brasileira. Adora dar aula e sempre que dá leva alguma música. A Thaís acha o Machado de Assis o escritor mais genial e totalmente incrível de todos os tempos e na música não há outro como John Mayer. Ela sabe fazer um brigadeiro muito bom, mas garante que escrever é o que de fato ela sabe fazer de melhor nessa vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s