Publicado em Filmes e Séries, Sobre o Amor

A Pequena Sereia, Frozen e O ‘Amor Verdadeiro’

24a93c093a19bc4a9c3112fe9cb634fc

Disney de novo! Siiiim, sempre! A Pequena Sereia, e um que eu amo bastante, Frozen.

Acredito que todo mundo que vai vir ler esse post, se não assistiu aos dois filmes pelo menos sabe do que se trata a história de cada um. Vou começar aqui falando das semelhanças de enredo entre os dois. Em ambos os filmes as protagonistas estão saindo da adolescência, Ariel com 17 anos e Anna com 18 e as duas tinham passado a vida toda loucas pra conhecer o mundo lá fora. Quando elas conseguem finalmente sair do ambiente em que estavam de certa forma presas, se apaixonam pelo primeiro cara que encontram e querem se casar com ele. E acho que as semelhanças acabam aqui.

Eu lembro até hoje da minha reação de susto quando assistindo a estréia de Frozen no cinema, vi a cena, logo no começo do filme, em que a Anna vai pedir o consentimento da irmã para se casar com o Hans e a Elsa simplesmente diz: Você não pode se casar com alguém que acabou de conhecer. Eu fiquei tipo “Como é que ninguém nunca falou isso pras outras princesas antes???”

img-frozen-03

Porque o que acontece em quase todos os filmes de princesa da Disney é que a protagonista se casa sim com um cara que acabou de conhecer!!! E eu digo ‘quase todos’ por que no meu filme de princesa preferido da Disney eles passam um bom tempo juntos, se conhecendo e lendo juntos, aquela coisa toda…  ai ai A Bela e a Fera)

Mas voltando aqui pra nossa análise, sinceramente não me espanta essa paixão sem noção pelo primeiro cara que te aparece pela frente quando você sai e conhece o mundo, o que foi insistentemente chamado nos filmes de ‘amor verdadeiro’. Primeiro porque quando você tem 17/18 anos você nem sem sempre age com a cabeça e eu sei o que é se sentir presa, sentir que você não pode fazer nada e querer subir no primeiro cavalo branco que vir na sua frente e ir pra um reino bem distante. O que me espanta realmente é todo mundo até então meio que achar normal os desfechos de casamento e felizes para sempre entre pessoas que mal se conhecem nesses filmes.

Eu nem vou comentar dos clássicos Branca de Neve, Cinderela A Bela Adormecida porque são realmente muuuuito antigos, mas A Pequena Sereia é de 1989 e ela não tinha um motivo sequer pra justificar ter se apaixonado pelo Eric. Mesmo assim a pessoa vai lá e faz um pacto com uma bruxa pra tentar ficar com o cara (oi?). E no final o próprio pai transforma a filha em humana pra ela ser livre pra viver ‘o amor verdadeiro’. Enfim. Elsa tem mais juízo que o rei Tritão.

É bom ver que as coisas estão mudando e mesmo se tratando de filmes infantis as mulheres estão tendo a oportunidade de desempenharem papéis menos ingênuos e irreais. O amor é algo que se constrói e acredito que muitas meninas, assim como eu, cresceram com a ideia de que o amor é uma coisa que acontece assim do nada. Que um belo dia você vai encontrar um cara que é tudo que você queria e vocês vão se apaixonar e namorar e se casar e (olha aí de novo) serão felizes para sempre. Mas quanta coisa acontece na nossa vida, quantos caminhos e descaminhos… E quem sabe até se a pessoa que vai ser seu grande amor não vai chegar porque , (quem sabe) ela até chegou e você ainda não se deu conta porque está esperando alguém fora do normal ou porque está insistindo com um cara de definitivamente não quer ser o seu príncipe.

Espero que os temas das próximas animações sobre princesas continuem se adequando às novas demandas como aconteceu com Frozen, e quem sabe daqui há um tempo tenhamos um filme em que o amor verdadeiro quebre o feitiço da friendzone. Ah, friendzone… Isso já vai ter que ser outro post.

Anúncios

Autor:

Thaís tem 25 anos, é formada em Letras pela UFF e recentemente concluiu o mestrado em Literatura Brasileira. Adora dar aula e sempre que dá leva alguma música. A Thaís acha o Machado de Assis o escritor mais genial e totalmente incrível de todos os tempos e na música não há outro como John Mayer. Ela sabe fazer um brigadeiro muito bom, mas garante que escrever é o que de fato ela sabe fazer de melhor nessa vida.

4 comentários em “A Pequena Sereia, Frozen e O ‘Amor Verdadeiro’

  1. Amor verdadeiro, felizes pra sempre, amor à primeira vista. Coisas muito bonitas, mas quase impossíveis de se encontrar. Afinal, a vida real é muito mais complicada do que o “Era uma vez…”

  2. O título do texto me chamou a atenção, mas o conteúdo foi ainda melhor. Primeiro, parabéns pela reflexão.
    Sabe, até entendo quererem passar para as meninas essa noção de poder encontrar um amor verdadeiro, mas para crianças da época em que esses eram quase os únicos filmes exibidos para elas, realmente, forma uma ideia erronea de relacionamentos … (como não amar A Bela e a Fera) …! Felizmente tem tido muitas animações boas recentemente, além de Frozen, uma que aborda um assunto legal é Valente \o , e , não terminei de assistir, mas gostei um pouco de “A Princesa e o Sapo”, pelo pequeno trecho que vi, tem um pouco do “amor a primeira vista”, ou pelo primeiro cara, mas é mais realista :*
    http://www.moniitorando.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s