Publicado em Entrevista

Entrevista com o ator e diretor Leandro Veneziani

lea

  • Quando surgiu em você o desejo de ser artista?

Interessantíssima essa pergunta, por que eu realmente não sei a resposta. Parece clichê mas acho que muita gente já nasce com essa vontade, e eu certamente fui uma delas. Digo isso porque nunca me passou pela cabeça fazer outra coisa, claro que a influência da minha irmã (que é atriz) é grande, mas sempre tive essa vontade.

  • Fale um pouco das suas primeiras experiências artísticas. 

Como disse anteriormente minha irmã (5 anos mais velha), é atriz, logo o mundo das artes sempre refletiu em mim. Eu tenho muita muita história, além do que tenho uma memória descomunalmente boa (infelzimente hahaa sim, isso atrapalha). Mas se tivesse que citar apenas uma falaria com certeza da vez que tinha 3 ou 4 anos e parei de falar repentinamente. Os diretores da escolinha chamaram minha mãe, foi um alarde só. Fui em dois psicólogos diferentes e após quase uma semana soltei a seguinte frase “ai mãe, como vocês são burros. Eu sou o dunga! O dunga não fala!”.

  • Quando você começou a levar mais esse desejo mais a sério?

Quando eu tinha 11/12 comecei a ver minha irmã indo realmente pra frente com a carreira, a partir daí percebi que isso era algo possível mesmo. Mas se levar a sério as vezes não é o bastante, afinal eu faço tudo com apoio dos meus pais, e eles só viram essa vontade/habilidade em mim quando eu criei minha primeira websérie (“As Joseenses”) quando estava ainda no terceiro ano e os vídeos bombaram, rendendo até uma entrevista pra Globo da região.

  • Existe algum acontecimento que marque pra você o início da sua carreira de ator?

Eu na verdade me vejo muito mais como um diretor/roteirista/criador do que ator. Mas eu amo e tenho vontade sim de ser ator. Eu acho que a primeira vez que eu me senti ator mesmo foi no primeiro teste de microfone do Mamma Mia, não sei porque mas aquilo marcou muito pra mim. Foi como se pela primeira vez eu botasse meu “uniforme de ator”.

  • Qual você considera o momento mais legal que você já viveu na sua carreira até hoje?

Nossa, essa é complicada hahahaha Fico em dúvida entre o agradecimento final do Mamma Mia e as primeiras vezes que fui reconhecido na rua pelo NOVA. Realmente não sei dizer hahaha.

  • O que te fez decidir ir estudar em Nova York? Como foi essa decisão pra você?

Vim pra cá pela primeira vez com 16 anos, acompanhado dos meus pais. E foi amor a primeira vista hahahaha bati o olho e pensei “eu quero estudar aqui e pronto cabô” hahaha desde então botei isso na cabeça e comecei a correr (muito) atrás.

  • Quais são os artistas (atores, cantores, cineastas etc) que mais te influenciam e/ou inspiram e por quê?

Nossa, desculpa. Essa eu vou passar, já tentei responder mas eu tenho dois problemas grandes : falar muito e ter muita criatividade/viajar. Se eu começar eu termino daqui 3 dias. 

Mas se for pra citar (assim por cima) eu diria : Tarantino, Almodóvar, Fellini, Wagner Moura, Selton Mello, Fernanda Montenegro, Fábio Porchat, Brad Pitt, Daniel Day Lewis, chega se não não paro. 

  • Como surgiu a ideia de criar a sua web série? Está tendo o retorno que você esperava?

Desde que cheguei me deu aquela vontade de fazer alguma coisa, algum vídeo, alguma produção, sei lá. Mas dessa vez quis fazer com calma, parei e pensei muito, demorei quase um ano pra terminar o projeto. E com o tempo (até mesmo depois de começar) fui moldando ele do jeito que eu queria. 

Nunca esperei esse retorno, não mesmo. Até hoje não acredito. Quando comecei a ideia era fazer no máximo 5 vídeos, e agora já estou chegando no 50º, é realmente surpreendente pra mim, até hoje.

  • Quais são os seus projetos atualmente?

Olha, exclusividade pro blog Hahahahaha o NOVA vai acabar (ou ficar um boooooooom tempo fora do ar) porém eu não vou parar hahaha agora o que vem em seguida ainda é segredo.

  • Qual é o seu maior sonho como artista?

Ser reconhecido, ser respeitado e viver fazendo o que eu amo, a arte. Transformar todo esse amor em reconhecimento e não deixar nunca essa chama de “sonho” se apagar.

.

Para conhecer um pouco mais sobre o trabalho do Leandro, visite https://www.youtube.com/user/LeandroVeneziani

Autor:

Thaís tem 25 anos, é formada em Letras pela UFF e recentemente concluiu o mestrado em Literatura Brasileira. Adora dar aula e sempre que dá leva alguma música. A Thaís acha o Machado de Assis o escritor mais genial e totalmente incrível de todos os tempos e na música não há outro como John Mayer. Ela sabe fazer um brigadeiro muito bom, mas garante que escrever é o que de fato ela sabe fazer de melhor nessa vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s