Quando namorei um cineasta

Cineasta-Tarantino

No começo era um romance açucarado
O que vivia com o meu culto namorado.

Ele era bonito, barbudo e cineasta,
Mas minha história com ele foi nefasta.

Passamos do clássico roteiro de amor
Para o mais trash dos filmes de terror.

Não fosse o drama presente em cada cena
Eu poderia até dizer que valeu a pena.

Mas ele gostava era gritos, sangue, morte!
Acho que ter saído viva foi pura sorte!

Se soubesse que seu estilo era meio Tarantino…
Ah… Eu não teria namorado esse cretino!

.
.
Thaís Bartolomeu

Memória

memo

A memória muitas vezes engana
Dando tinta nova ao que passou.
Pinta de azul o que era cinza
E faz ter saudade do que machucou.

Ela enfeita o cativeiro com flores,
Coloca adornos em todo o lugar.
E nós, com a vista iludida,
Sentimos vontade de voltar pra lá.

.
.
Thaís Bartolomeu – 2015

Manifesto da Vida Acústica

instrumentos_acusticos_2-e1335472004957

Quero viver minha vida
Sem fios nem tomada.
Sem porta fechada.
.
Quero minha canção
Somente acompanhada
Pelo som do violão.
.
Quero minha voz
Livre e cantada
Sem caixa de som.
.
E que a energia
Seja solar
.
E as batidas
Palmas e cajon
.
E se for pra viver conectada
Que seja só com a Música, então.
.

Thaís Bartolomeu

My dear

unnamed (2)

Vem tocar John Mayer pra mim, meu bem
Porque eu gosto de vê-lo mexer com Neon
E vê-lo sorrir com Dear Marie é tão bom!
(Será que gostas do meu sorriso também?)

Vem iluminar minha noite, meu bem
Com os vagalumes que saem do teu violão
E que dançam pra nós a cada canção.
(Será que vai dar tempo pra Stop this train?)

E se você vier ainda hoje, meu bem
Tem aqui um quarto pra gente incendiar
E se escaparemos desse fogo, não sei dizer

Nem sei que efeitos os teus acordes irão ter
Mas certamente a gravidade me fará deitar
(Será que vou acordar no teu colo, meu bem?)

Wolverine

Wolverine_Heart_Juniors_Blue_Shirt_POP

E eu fui descobrir então
Que esse meu mutante coração
É que nem o Wolverine.

Tem um passado obscuro
(nem ele se lembra de tudo)
Mas passou por poucas e boas!

As lembranças que às vezes vem
Quase nunca lhe fazem bem
(sofreu nas mãos de cruéis pessoas).

Já esteve à beira da morte
E só sobreviveu porque é forte
E consegue se regenerar.

Acho que esse deve ser
Entre todos, o melhor superpoder:
Ser capaz de recomeçar.

Thaís Bartolomeu – 2015

Epílogo

xeque-mate01

E quando acaba
O que fica?
O choro dela
O casaco dele
Sensação de perda
Uma grande incompreensão.
.
Talvez
.
E quando a noite cai
De novo a pergunta
‘Por quê?’
Foi erro seu?
Foi mentira dele?
.
Talvez
.
Outra grande decepção.

(Talvez você sonhou demais
E ele falou de menos
Talvez você amou de mais
E ele só mais ou menos)

Thaís Bartolomeu – 2015

Nietzsche

São estes teus olhos pequenos
E toda a paz que eles me dão
Ou são os seus sorrisos amenos
Que tranquilizam meu coração?

Talvez seja a sua doçura ao falar
De coisas que me fazem sorrir
Ou o jeito carinhoso de me tratar
Ainda quando falo em desistir

Deve ser, então, um pouco de tudo
De Nietzsche às bochechas rosadas
Dos assuntos sérios às risadas

O que faz meu mundo ter mais conteúdo
O que traz pra minha vida cor e alegria
E transforma qualquer dor em poesia

Thaís Bartolomeu – 2015

Para o amor que ainda não chegou

rain-pictures-city-streets1

Talvez ele não venha num cavalo branco
Talvez esteja vindo de ônibus
Num daqueles que vem parando em cada ponto
Talvez por isso a demora
Talvez por isso o cansaço quando chegar
.
E quando ele chegar
Talvez ainda tenha que andar um pouco a pé
Talvez pegue chuva no caminho
Talvez resolva parar embaixo de um toldo
E esperar que ela passe
.
E enquanto você espera que ele passe
A chuva passa e ele continua
Continua e dessa vez até chegar
E talvez chegue hoje no fim da tarde
Ou amanhã quando menos esperar
.

E você sorriu pra mim (soneto)

estações

Eu estava aqui no quarto a toa
Tentando rimar romã com travesseiro
Quando lembrei daquela noite boa
E dos nossos doces beijos de janeiro.

Você fazia músicas sobre quem passava
E enquanto eu tentava disfarçar o riso
Entre um acorde e outro você me beijava.
Como eu adoro esses seus improvisos!

E você sorriu pra mim quando eu disse
O quanto gosto de te ouvir tocar.
Como conhecer você e não se apaixonar?

E acho que quem passasse e nos visse
Iria dizer que formamos um belo casal.
Ainda teremos tempo de mudar nosso final?

Thaís Bartolomeu

Blog no WordPress.com.

Acima ↑